Carpe diem

"Rather than money, than fame,than fame, give me Truth."

Maybe I could have changed your mind;
Maybe you could thought about someone else, 
Rather than yourself, oh anybody but yourself.

And I know you felt lonely;
Yeah I know people try to get you down 
And all around those laughing faces,
Single you out in the crowd
Oh single you out in the crowd

I tried so hard, to help you understand;
To put some hope into your hands 
And all the time, you cried and said to me
"Why can’t everything be right?"
Each time I have to put up a fight
And the world keeps on winning,
Oh yeah the world keeps on winning

Wouldn’t be a lie if I said I was missing you tonight,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you tonight, night,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you, missing you, missing you

Never thought that you, that you wouldn’t be here;
Never thought that I would see these tears fall
And all these lonely times I’m feeling without you,
Knowing I don’t have you through it all,
Knowing I don’t have you through it all

No it wouldn’t be a lie if I said I was missing you tonight,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you tonight, night,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you at all,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you tonight, night,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you,
Oh wouldn’t be a lie if I said I was missing you tonight,
Wouldn’t be a lie if I said I was missing you, missing you, missing you,
Missing you, missing you

Cada vez que sobre ti escrevo

Cada vez que sobre ti escrevo

Sinto cada palavra a esfaquear-te

Cada gota do teu sangue a cair

É o que me faz sorrir

Os teus gritos a surgir

E o meu olhar a florir

Cada vez que sobre ti escrevo

Vem ao de cima

Tudo aquilo que de mau existe

E ficas sendo o meu martirio sentimental

Em que me imagino

Numa batalha fatal

Cada vez que sobre ti escrevo

Rompesse o meu mundo

Profundo

Das tentativas de homicídio imundo

Dás alento

À minha vontade de ver sangue

A escorrer lento

Aí! A tua desgraça a ser vista por mim!

Que me dera

Que todo o mal que soubera

Fosse minimo´

E tudo aquilo fosse divino

Não morras ainda

Deixa-me ser eu a te visitar

No leito ultimo e te dizer

Com voz doce ao ouvido

Que te vou matar

´19.04.2012 

os artistas…

HOMEM

HOMEM

INSOFRIDO TEMÍVEL ADAMADO PURO SAGAZ INTELIGENTÍSSIMO MODESTO RARO CORDIAL EFICIENTE CRITERIOSO EQUILIBRADO RUDE VIRTUOSO MESQUINHO CORAJOSO VELHO RONCEIRO ALTIVO ROTUNDO VIL INCAPAZ TRABALHADOR IRRECUPERÁVEL CATITA POPULAR ELOQUENTE MASCARADO FARROUPILHA GORDO HILARIANTE PREGUIÇOSO HIEROMÂNTICO MALÉVOLO INFANTIL SINISTRO INOCENTE RIDÍCULO ATRASADO SOERGUIDO DELEITÁVEL ROMÂNTICO MARRÃO HOSTIL INCRÍVEL SERENO HIANTE ONANISTA ABOMINÁVEL RESSENTIDO PLANIFICADO AMARGURADO EGOCÊNTRICO CAPACÍSSIMO MORDAZ PALERMA MALCRIADO PONDEROSO VOLÚVEL INDECENTE ATARANTADO BILTRE EMBIRRENTO FUGITIVO SORRIDENTE COBARDE MINUCIOSO ATENTO JÚLIO PANCRÁCIO CLANDESTINO GUEDELHUDO ALBINO MARICAS OPORTUNISTA GENTIL OBSCURO FALACIOSO MÁRTIR MASOQUISTA DESTRAVADO AGITADOR ROÍDO PODEROSÍSSIMO CULTÍSSIMO ATRAPALHADO PONTO MIRABOLANTE BONITO LINDO IRRESISTÍVEL PESADO ARROGANTE DEMAGÓGICO ESBODEGADO ÁSPERO VIRIL PROLIXO AFÁVEL TREPIDANTE RECHONCHUDO GASPAR MAVIOSO MACACÃO ESFOMEADO ESPANCADO BRUTO RASCA PALAVROSO ZEZINHO IMPOLUTO MAGNÂNIMO INCERTO INSEGURÍSSIMO BONDOSO GOSMA IMPOTENTE COISA BANANA VIDRINHO CONFIDENTE PELUDO BESTA BARAFUNDOSO GAGO ATILADO ACINTOSO GAROTO ERRADÍSSIMO INSINUANTE MELÍFLUO ARRAPAZADO SOLERTE HIPOCONDRÍACO MALANDRECO DESOPILANTE MOLE MOTEJADOR ACANALHADO TROCA-TINTAS ESPINAFRADO CONTUNDENTE SANTINHO SOTURNO ABANDALHADO IMPECÁVEL MISERICORDIOSO VOLUPTUOSO AMANCEBADO TIGRINO HOSPITALEIRO IMPANTE PRESTÁVEL MOROSO LAMBAREIRO SURDO FAQUISTA AMORUDO BEIJOQUEIRO DELAMBIDO SOEZ PRESENTE PRAZENTEIRO BIGODUDO ESPARVOADO VALENTE SACRIPANTA RALHADOR FERIDO EXPULSO IDIOTA MORALISTA MAU NÃO-TE-RALES AMORDAÇADO MEDONHO COLABORANTE INSENSATO CRAVA VUKGAR CIUMENTO TACHISTA GASTO IMIRALÃO IDOSO IDEALISTA INFUNDIOSO ALDRABÃO RACISTA MENINO LADRADOR POBRE-DIABO ENJOADO BAJULADOR VORAZ ALARMISTA INCOMPREENDIDO VÍTIMA CONTENTE ADULADO BRUTALIZADO COITADINHO FARTO PROGRAMADO IMBECIL CHOCARREIRO INAMOVÍVEL…”

Alexandre O’NEILL

" A diferença entre a vida e a morte é apenas uma virgula "

Branco e Vermelho

A dor, forte e imprevista,
Ferindo-me, imprevista,
De branca e de imprevista
Foi um deslumbramento,
Que me endoidou a vista,
Fez-me perder a vista,
Fez-me fugir a vista,
Num doce esvaimento.
Como um deserto imenso,
Branco deserto imenso,
Resplandecente e imenso,
Fez-se em redor de mim.

Todo o meu ser, suspenso,
Não sinto já, não penso,
Pairo na luz, suspenso…
Que delícia sem fim!
Na inundação da luz
Banhando os céus a flux,
No êxtase da luz,
Vejo passar, desfila
(Seus pobres corpos nus
Que a distancia reduz,
Amesquinha e reduz
No fundo da pupila)
Na areia imensa e plana
Ao longe a caravana
Sem fim, a caravana
Na linha do horizonte
Da enorme dor humana,
Da insigne dor humana…
A inútil dor humana!
Marcha, curvada a fronte.
Até o chão, curvados,
Exaustos e curvados,
Vão um a um, curvados,
Escravos condenados,
No poente recortados,
Em negro recortados,
Magros, mesquinhos, vis.
A cada golpe tremem
Os que de medo tremem,
E as pálpebras me tremem
Quando o açoite vibra.
Estala! e apenas gemem,
Palidamente gemem,

A cada golpe gemem,
Que os desequilibra.
Sob o açoite caem,
A cada golpe caem,
Erguem-se logo. Caem,
Soergue-os o terror…
Até que enfim desmaiem,
Por uma vez desmaiem!
Ei-los que enfim se esvaem,
Vencida, enfim, a dor…
E ali fiquem serenos,
De costas e serenos.
Beije-os a luz, serenos,
Nas amplas frontes calmas.
Ó céus claros e amenos,
Doces jardins amenos,
Onde se sofre menos,
Onde dormem as almas!
A dor, deserto imenso,
Branco deserto imenso,
Resplandecente e imenso,
Foi um deslumbramento.
Todo o meu ser suspenso,
Não sinto já, não penso,
Pairo na luz, suspenso
Num doce esvaimento.
Ó morte, vem depressa,
Acorda, vem depressa,
Acode-me depressa,
Vem-me enxugar o suor,
Que o estertor começa.
É cumprir a promessa.
Já o sonho começa…
Tudo vermelho em flor…

Camilo Pessanha, in ‘Clepsidra’

weowlneedlove:

©Madalina Sfitlic

Lucia Cristino


me as a model ahahah

weowlneedlove:

©Madalina Sfitlic

Lucia Cristino

me as a model ahahah

(Fonte: freezingmemories)

vedderaddict:

This song drives me crazy.
wonderful!!!!!!!!!!!!!!!

vedderaddict:

This song drives me crazy.

wonderful!!!!!!!!!!!!!!!

(Fonte: )